Voltar para o antigo emprego é retroceder?

Sofia Esteves - responde

Fiquei por três anos em uma empresa na qual tinha bons relacionamentos e gostava do que fazia. Há cinco meses, contudo, recebi uma proposta com um salário bastante atraente e decidi aceitar. O problema é que, embora esteja ganhando mais, não consegui me adaptar na nova empresa. O trabalho não é tão interessante e o clima é muito pior do que eu estava acostumado. Comentei a situação com meu antigo chefe, com o qual ainda converso de vez em quando via internet, e ele disse que se eu quiser posso voltar a ocupar o mesmo cargo que eu tinha, recebendo o mesmo salário de antes. Sinto-me infeliz no atual emprego, mas ao mesmo tempo acho que voltar seria um retrocesso na minha carreira. O que devo fazer?

Coordenador, 30 anos

Resposta:

E quem é que já não enfrentou ou ainda vai enfrentar uma dúvida similar à sua, não é mesmo? Ao aceitar uma nova proposta de trabalho, você assumiu riscos, apostou em uma nova cultura até então desconhecida e acreditou que a oportunidade poderia ser um importante salto em sua carreira. Todos nós, ao realizarmos mudanças em nossa trajetória profissional, estamos sujeitos a esses mesmos riscos que você assumiu. Claro que torcemos para que o resultado de uma troca de emprego seja sempre positivo, mas muitas vezes não é e aí podemos enfrentar algo similar ao que está vivendo: reconsiderar a escolha e querer retornar à empresa antiga.

Não é nenhum pecado profissional rever nossas escolhas e concluir que não tomamos a decisão ideal. No seu caso, parece que isso está acontecendo pela primeira vez em sua carreira. No entanto, vale refletir se isso não é recorrente, ou seja, observe qual foi o seu padrão de tomada de decisões nos últimos anos: o que você priorizou, qual foi o intervalo de tempo entre a dúvida e a resposta final, quais receios apareceram pelo caminho, qual foi o aprendizado que teve sobre você mesmo com essa decisão? Refletir sobre isso vai te ajudar a entender se essa é uma situação específica que está enfrentando ou se você realmente precisa rever seu planejamento de carreira para não ficar exposto a outros momentos similares.

Além disso, parece que você já identificou claramente o que não está te fazendo feliz na atual empresa: clima organizacional e atividade desinteressante. Mas para evitarmos dúvidas, considero que é importante levar em conta que quando fazemos alguma transição de carreira temos um período de adaptação. Você já pensou sobre isso? Esses cinco meses foram suficientes para confirmar que sua vontade de regressar à antiga empresa não é somente por querer voltar a um ambiente no qual tudo já era acolhedor?

E se agora, mesmo depois de ter refletido sobre os itens que conversamos acima, a vontade de regressar à empresa antiga permanecer, recomendo que você aproveite esse elo com seu ex-chefe e marque um bate papo pessoal. Busque entender quais são as reais chances de crescimento na empresa e se não há um cargo que possa ocupar diferente do anterior. Em caso negativo, tenha claro quais pontos precisará desenvolver para alcançar uma nova posição com um salário mais atraente. É preciso que você tome uma decisão levando em conta o balanço entre a satisfação com o ambiente, função, remuneração e a possibilidade de crescimento e desenvolvimento.

Em relação a retornar ganhando o mesmo salário de antes, investigue se essa proposta é devido a alguma política de cargos e salários da empresa ou se é porque realmente ele acredita que você ainda não atingiu um resultado que justifique o aumento. Tire suas dúvidas, aproveite o bate papo para estreitar esse elo e garantir que o retorno te trará a certeza de que não será- para você- um retrocesso na carreira.

Sofia Esteves é psicóloga com especialização em recursos humanos e presidente do grupo DMRH