Devo mudar de área por me sentir desmotivado?

Vicky Bloch - responde

Tenho 33 anos e trabalho em uma companhia de telecomunicações como analista jurídico júnior. Estou na empresa há seis anos, sendo os últimos quatro na mesma área. Recebo elogios e bons feedbacks dos meus gestores imediatos e dos diretores da empresa, gozando do respeito e incentivos de todos. Desde 2009, porém, percebo que meu trabalho é pouco desafiador e não tenho grandes motivações. Gostaria de novos desafios, quer na minha empresa ou em outro lugar, mas não sei como informar isso aos meus gestores. Mesmo tendo formação jurídica, sempre tive facilidade com números e penso em enveredar para o mercado de capitais ou para a área de finanças. Como devo colocar meus objetivos sem parecer que estou traindo a confiança e o reconhecimento dado pelos meus gestores?

Analista, 33 anos:

Resposta:

Querer mudar é o mais importante, pois mostra que você não está acomodado. Concordo que, se você está há quatro anos na mesma posição e sem novos desafios, realmente chegou a hora de acontecer algo caso tenha pretensões de se desenvolver na carreira.

A primeira coisa a fazer é ter uma conversa franca com seu gestor ou com o profissional de recursos humanos. Em tese, se a empresa é focada na gestão de pessoas, ela deveria promover e incentivar sessões de feedback constantes entre os funcionários e seus gestores tanto em relação aos pontos positivos quanto aos espaços de melhoria. Se até hoje você não encontrou um momento para essa conversa franca sobre a sua carreira, é sinal de que a empresa tem muito a evoluir nesse sentido. Independentemente disso, você não deve ter medo de ser transparente. Falar sobre plano de carreira com seu gestor é algo que deve ser bem aceito por ele e pela organização. Mostra que você tem atitude e que está em busca de desafios.

Você diz que é elogiado pelo seu trabalho, o que geralmente acontece com quem gosta do que faz. E se gosta do que faz, por que quer mudar totalmente de área ? Se for apenas por uma questão financeira ou por oportunidade de crescimento, por exemplo, talvez não seja a melhor saída. Será que não está apenas desmotivado por não estar aprendendo mais e realizando tarefas repetidamente? Reflita sobre isso.

Agora, se você realmente não está feliz na area jurídica e descobriu que sua vocação são as finanças, terá um caminho a percorrer. Para mudar, você tem duas opções: fazer essa transição dentro da própria empresa, o que pode ser mais fácil se houver a prática do "job rotation", ou tentar ir para o mercado, o que irá exigir um bom network que te apoie.

Para muitas organizações, mudar de área é um movimento comum e positivo. Não tenha receio de conversar com seu gestor caso este seja o perfil da organização. Por mais que seu chefe tenha interesse em mantê-lo na sua área, ele não deverá se opor à mudança se for um bom líder. Afinal, faz parte do papel da liderança desenvolver seus colaboradores e aproveitar seus pontos fortes para gerar resultados para o negócio.

Se você quer mesmo fazer essa migração para a área financeira, também seria bom se preparar tecnicamente para isso. Cursos de especialização ou uma pós-graduação na área podem ter grande valia para que você possa aperfeiçoar seus conhecimentos sobre o assunto.

Se por outro lado, você tiver essa conversa franca com o seu gestor e com o recursos humanos e perceber que nada tende a mudar, provavelmente chegou a hora de procurar uma organização que esteja mais adequada ao que você busca. Tente, no entanto, obter um feedback sincero desses gestores, porque muitas pessoas tendem a culpar a empresa por falta de desafios mas não conseguem enxergar seus pontos fracos. A autoavaliação e o autoconhecimento são fundamentais para qualquer profissional conseguir administrar sua própria carreira. O importante é que você faça escolhas conscientes.

Vicky Bloch é professora da FGV, do MBA de recursos humanos da FIA e fundadora da Vicky Bloch Associados